Livro Outlander e a história escocesa

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Oii leitores, tudo bem?

Eu sempre acreditei em como a leitura pode nos engrandecer. Seja pelas informações culturais ou pelos ensinamentos. Como falei há algumas semanas, estou fazendo a leitura coletiva de Outlander. E além disso, estou tendo uma motivação maior para pesquisar sobre a cultura escocesa, fatos históricos. E o mais bacana do conhecimento é a chance de compartilhamento, não é?

Pensando nisso, estou trazendo para vocês algumas coisas que aprendi em duas semanas de leituras (400 páginas). Espero que gostem!

Jacobismo
O jacobitismo foi um movimento político dos séculos XVII e XVIII na Grã-Bretanha e Irlanda que tinha por objetivo a restauração do reinado da Casa de Stuart na Inglaterra e Escócia (e depois de 1707, ano em que o Reino da Escócia e o Reino da Inglaterra num Tratado de União se uniram criando a Grã-Bretanha). Esse movimento acabaria por ser derrotado, sobretudo em dois grandes momentos e batalhas em 1715 e 1748 respectivamente.


O jacobitismo foi a resposta à deposição do referido rei James em 1688, ano da Revolução Gloriosa, em que ele foi substituído pela sua filha protestante Maria II de Inglaterra juntamente com o seu marido Guilherme de Orange, por parte das forças que o apoiavam.
Os Stuarts passaram a viver no continente europeu depois disso, tentando ocasionalmente recuperar o trono britânico com a ajuda da França e Espanha (e das forças católicas existentes em certas zonas como a Irlanda e as Highlands escocesas). Na Escócia, a causa jacobita tornou-se envolvida na agonia do sistema dos clãs guerreiros das Highlands, e tornou-se uma memória revivalista romântica.
O emblema dos jacobitas é a rosa branca, a White Rose of York; o Dia da Rosa Branca é celebrado a 10 de junho, o aniversário de Jaime Francisco Eduardo Stuart, conhecido como "The old pretender" que caso tivesse tido êxito teria sido o rei Jaime III de Inglaterra (VIII da Escócia), nascido em 1688.

Sistema de clãs
Um clã é um grupo social reconhecido pela lei escocesa, tal como uma instituição pública, uma organização, ou empresa, na condição de ter um chefe. Em parte os clãs são grupos baseados no parentesco. A palavra clã vem das formas gaélicas clann, "descendência" ou "família", tanto em gaélico irlandês como escocês, e clanna, "crianças" A palavra foi trazida para o inglês à volta de 1425 como etiqueta para a natureza tribal das sociedades gaélicas irlandesa e escocesa. O termo gaélico para 'clã' é fine (soa como 'fin').
Em alguns sistemas de clãs como o sistema escocês os clãs podem unir famílias e descendências diferentes se todos concordarem em unir-se debaixo de um chefe comum. No sistema escocês só os chefes têm autoridade para conceder o estatuto de membro do clã a alguém, mesmo a uma pessoa que simplesmente trabalha para o clã, ou que vem solicitar a proteção ou ajuda do clã, desde que estas pessoas reconheçam a autoridade do chefe. Para além disso, a seleção de chefe ou chieftains de um clã é tradicionalmente muito diferente do sistema teutónico/normando de títulos hereditários. Um clã pode eleger e seguir quem eles quiserem como chefe. Chieftain, que não tradução para outras línguas, refere-se aos chefes secundários, de ramos do clã.

O kilt
No final do século 14, ele já era usado pelo povo gaélico, que vivia na Irlanda. Com a migração dos gaélicos para a região úmida e chuvosa das Highlands, no norte e no oeste da Escócia, o aparato foi adotado pelos escoceses da região. Os kilts serviam para a proteção contra a umidade e o frio típicos de lá.
O tecido era feito de lã escovada, que impermeabilizava à água. Naquela época, a peça única era presa ao corpo, como um tipo de manto. É aí que está a origem do nome “kilt”, que, na antiga língua falada na Escócia, significa o ato de “prender uma roupa no corpo”. O tipo de xadrez do kilt (chamado de tartan) mudava de estampa de acordo com o clã daqueles que o usavam. A peça atual, em formato de saia, é criação escocesa e só passou a ser usada a partir do século 18.
No século seguinte, foi adotada como símbolo de identidade nacional e hoje é vestida por cidadãos escoceses e de outros países, como Inglaterra, em ocasiões diversas, como festas formais, eventos da moda ou pela plateia de jogos esportivos, 

Essas foram apenas algumas das informações! Quem quiser entrar no grupo, o link é aqui.  Faremos a leitura coletiva de toda a série! 

Beijos!


Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.
0 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Lê e Ler!, VERSION: 01 - BOOKS - outubro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda,
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo