Palavreando: Encontros

05:58:00



Encontros...

Segundos. Minutos. Horas.

A troca de olhares ficou gravada em suas memórias por muitos dias seguintes; Ele estava no trem, ela na estação, quando se olharam pela primeira vez. Familiaridade. Havia algo na sensação muito maior que um dejá-vu. Se você estivesse ali talvez conseguisse palpar tamanha era a certeza de que se conheciam. Ver sua partida lhe despertara uma pontada de dor desconhecida.

Na segunda vez em que se encontraram, lá pela semana seguinte, os papéis haviam sido invertidos. Ela sorriu ao perceber o quanto ele ficava lindo com o sobretudo preto e o cachecol no pescoço. E vestido assim ele ficava ainda mais familiar.

Na terceira vez, ela perdera o trem de propósito. Na ansiedade de vê-lo. Não mais era capaz de ignorar os olhos castanhos claros que lhe apareciam sempre que fechava os seus.  “Bom dia”, ele sussurrou lhe ao ouvido, ao vê-la parada na estação. “Bom dia” disse de volta. E ficaram ali os dois, sorrindo um para o outro.

O trem veio e ambos já não podiam ignorar a condução. Compromissos os aguardavam. Ela, ao centro da cidade. Ele, em um bairro mais afastado. Trocaram contatos e nomes. Ela subiu ao trem e não conteve a sensação de olhar para trás e se certificar de que ele fazia o mesmo. E o fazia.

Mal sabiam que, séculos atrás, existiu uma outra estação de trem, mas os mesmos corações.



Beijos!


You Might Also Like

2 comentários

  1. WOW, MINHA CABEÇA TÁ A MIIIL ameeeei sua escrita e já fiquei imaginando mil coisas aqui, gente!
    Que incrível esse sentimento de ansiedade por mais que me deu agora, você escreve muito bem! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaaah! Muito obrigadaa! Não sabe o quanto me deixa feliz receber esses estímulos! Faz pouquissimo tempo que voltei a escrever <3

      bejos!

      Excluir

Popular Posts

Like us on Facebook

Most Popular