Palavreando: texto Cuidados...

quinta-feira, 1 de junho de 2017
            
Oiie pessoal, tudo bem?

Hoje é mais um texto que fiz a partir do desafio Imagens e Palavras, do grupo Café com Blog. E a palavra que recebi cuidado. 

Bom, espero que gostem do texto do dia e estou tentando fazê-los cada vez maiores. :) 



Cuidados...

      Era sábado. Ainda chovia um pouco, uma chuva leve que permanecia desde a madrugada. Mesmo com todo a preguicinha típica destas manhãs – vai me dizer que nunca sentiu? – ela colocou as cobertas floridas de lado e se levantou.

Ao sair do quarto passou por um espelho, onde se demorou alguns segundos, observando os cabelos desgrenhados - consequência da tranquila noite de sono merecida -, as olheiras enfim haviam amenizados. Ela sorriu para sua imagem. Foi ao banheiro, tomou uma ducha e alguns minutos depois estava pronta para o dia atarefado que viria.

Vestida de uma leggings jeans – quase uma necessidade para o trabalho – e uma blusinha leve, Jamille se sentia vitoriosa. O motivo? Depois de anos lutando com a balança e o espelho, ela aprendeu a aceitar seus quilinhos a mais e a se cuidar como sempre viu tantas outras pessoas fazerem. Mas hoje não era dia de cuidar do corpo, especificamente, e sim da alma.

Uma hora depois ela chegava na sua Igreja, ainda um pouco esbaforida por ter corrida da parada até ali para não chegar atrasada. Malditos ônibus que demoram a passar! Sorriu para as duas senhoras que estavam na recepção das pessoas e entrou. 

Os sábados da Igreja eram reservados para a evangelização das crianças e bebês. Ah, como ela amava ajudar com os bebês. Era divertido observar o trabalho germinando em cada criancinha, com seus no máximo dois anos. 

Aquele, entretanto, era um dos sábados especiais. Todo primeiro sábado do mês a Igreja recebia mães - grávidas ou com filhos pequenos ou os dois – da comunidade mais carente para uma ajuda. Além da cesta básica, assistiam a uma "palestra" sobre algum tema importante para suas realidades. Era a nossa forma de evangelizá-las. 

Enquanto as mães estavam em suas recepções, os evangelizadores, entre eles Jamille, eram responsáveis por cuidar das crianças. Nesse sábado, então, as turminhas ganhavam novos colegas. O que Jamille considerava de grande importância. Colocar as crianças de realidades bem diferentes juntas, estimulava o desenvolvimento de respeito e o interesse em dissipar essas diferenças.

Afinal, se as crianças serão os adultos de amanhã, se faz necessário que cuidemos para que elas cresçam com o entendimento de que todos somos iguais, no fim das contas. E as diferenças que nos são impostas devem ser quebradas. 

Jamille sorriu ao ver aquela salinha cheia de crianças. Algumas pessoas tem marcos em sua vida. Para Jamille, era o antes e o depois de se conhecer o benefício de cuidar do próximo. Foi ao perceber que o bem que promovemos ao um amigo em necessidade reverbera em nós de maneira muito agradável.

Quando ela sentiu que evangelizar, fazer ronda nas ruas, doação... era a sua maneira de poder contribuir para um mundo melhor. E ela aceitou, de bom grado, a missão. E vamos lá, porque a jornada dela de hoje mal havia começado.





Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.
2 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

2 comentários:

  1. Eu acho que li uns quatro textos para o desafio imagem e palavra só hoje, e eles ficam tão bonitos!, haha
    Me identifiquei com o seu texto; auxiliar pessoas através de assistência social também é um amor que eu percebi em mim há algum tempo. <3

    ResponderExcluir

 
© Lê e Ler!, VERSION: 01 - BOOKS - outubro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda,
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo